jusbrasil.com.br
19 de Janeiro de 2021

"El Hoyo": quando um filme, mesmo perturbador, nos ensina sobre Mediação de Conflitos e empatia

Atenção, vá de leve, pode conter algo de spoiller! rsrs

Elane Souza DCJ Advocacia, Advogado
há 9 meses

"El Hoyo", foi com esse título que assisti; no entanto, em nossa língua mãe (o Português), o referido filme tem como título: 'O POÇO"

Trata-se de uma prisão vertical, onde, em cada nível há 2 prisioneiros, e no meio deles um fosso grande e quadrado que, se você olhar perderá de vista a quantidade de níveis que existem (abaixo ou acima, dependendo do nível que parta seu olhar)!

Esse buraco (fosso) serve para passar uma grande mesa com comida e bebida; não raras vezes, também serve para que um colega de nível jogue o outro para a morte certa (assim," sobra mais comida ")!

A mesa começa cheia, de cima para baixo, logo, como é de se imaginar, os de baixo vão comer por último, o que sobrar (e se sobrar)!

Mas, como assim, o que sobrar? Não há comida para todo mundo?

Claro que sim, segundo uma das novas prisioneiras (antes era uma das administrativas do poço - que acabou presa, não sei o porquê), disse que há uma boa porção para cada pessoa que está no poço (todos os dias), todavia, não é isso que se passa, a comida não chega a todos!

O poço faz uma referêcia (quase) literal da vida aqui fora. Em grande parte das vezes e, em parcela significante dos países, as pessoas agem (em momentos, cruciais, outros no no diaadia) como " selvagens " (" se a farinha é pouca, meu pirão primeiro ")!

Outras pessoas, de forma ainda mais bizarra, agarra o pirão todo, como agora (papel higiênico, álcool gel, gás de cozinha, máscaras, etc, e simplesmente entulham em casa para se acaso a situação piorar eles passem bem - se acaso não piorar, apenas revendem a preços exorbitantes, para quem ainda precisa).

*Este artigo também pode ser lido aqui

Estamos vivendo nesse poço, apesar de não estarmos presos, estamos 'confinados' enquanto alguns seres especiais zelam por nossa saúde; que não falte comida; que a luz e a internet funcione; que a segurança exista, e a educação permaneça acontecendo (mesmo que online); os hospitais funcionando à TOP, que as ruas sejam limpas e o lixo recolhido, o fogo apagado, que ambulâncias circulem, que a comida seja vendida e entregue, etc.

Felizmente, existem essas pessoas que estão fora do poço, para que nós estejamos nele (" seguros "), mas seguindo regras; assim, nem eu, nem você, devemos transformar a vida deles, que já é perigosa (estão em uma " guerra "), em algo ainda mais apavorante - reflexão nesta hora, #empatia neste momento e #gratidão para sempre - #fiquememcasa!

O ideal seria que o mundo funcionasse como na Mediação, (GANHAR/GANHAR), e não PERDER ou GANHAR, adotado pelo judiciário do Brasil e de muitos países; no entanto, verdade seja dita, esse sistema está ultrapassado.

Eles (o Judiciário) decidem a vida familiar, das sociedade, do comércio e do consumidor; decidem os problemas condominiais, trabalhistas ou empresariais de cada pessoa física ou jurídica que prefere demandar o" desafeto "ou devedor em juízo; ou, quando é caso de crime e a pessoa é obrigada, por lei, a ser julgada por um Juízo penal constituído pelo Estado, também são os Juízes que decidem (no campo penal, por outro lado, é super recomendável - a não ser nos crimes de menor potencial ofensivo, da Lei 9.099/1995 - clicando no link aí exposto, poderá entender, um pouquinho, sobre Trasação penal).

E, sempre, independente da causa, mesmo correndo o risco de injustamente perder, as partes seguem preferindo" brigar ", sabendo que no final quem decidirá não é o SEU, ou o Advogado da outra parte, mas um Juiz, um ser humano, que, quer queira, quer não, tem suas convicções sociais e religiosas (nunca vai assumir que decidiu a partir delas), mas sempre estará mais influenciado por uma parte, que pela outra!

Por outro lado, na Mediação quem decide são as partes, a partir de um diálogo, acompanhado," dirigido "por um Mediador imparcial, neutro e impedido de difundir quaisquer assunto que seja, ou foi discutido durante as sessões de Mediação; a justiça, por sua vez, é Pública; raras vezes há segredo de justiça e quando permitido por lei!

Na mediação o segredo faz parte (é LEI - veja a 13.140/2015), tudo que for acordado, ou NÃO, será destruído após as sessões, exceto o Acordo assinado por todos os participantes e homologado em uma Câmara Arbitral, ou em Juízo (tranforma-se em Título Executivo das partes); no mais, o Mediador sequer poderá depôr como testemunha do caso - a exceção é para crime ou ameaça durante as sessões, que, neste caso, devem encerrar e ir para o Ministério Público ou Delegacia de polícia.

Então, caros amigos, Mediar é, ou NÃO legal?

Não deixe de ver o vídeo, nele falo acerca da Teoria dos Jogos (na Mediação), e após isso, coloco ela no contexto do POÇO!

Por Elane Ferreira de Souza, Advogada atuante só em consultoria jurídica e Mediação de Conflitos, Autora dos seguintes sites/blogs:

Divulgado Direitos,

Mediar é Legal

Diário de Conteúdo Jurídico,

Fã page de DCJ, mais o canal do YOUTUBE de nome Diário de Conteúdo jurídico.

OBS.:(ao copiar o texto, ou redistribuir ,cite a fonte e link - grata).

Fontes: Apostila Dr. PhD. Professor Jean Carlos S. Dal Bianco - IBRAMAC-PE Imagem/créditos: Elane, editada por Elane Souza, no Canva para capa do youtube

2 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Acho que eu sou a única que não assistiu esse filme ainda kkkk

Já vi tanto spoiler que acho que já sei ele todo também rs

Gostei do contexto do filme e como faz as pessoas pensarem sobre a realidade. continuar lendo

Grata pelo comentário e recomendação cara Dra. Alice; o filme é Español (netflix), por isso, e porque aqui em casa é sempre assim, preferi ver na língua deles mesmos! É uma Distopia...,enfim, deixa pra lá rsrs continuar lendo