jusbrasil.com.br
14 de Novembro de 2019

Gandhi: o Advogado da humanidade

Um 'pouquinho' da vida de um Advogado que deveria servir de exemplo para toda uma categoria profissional - estamos falando só de sua trajetória profissional. Ninguém pode, 'nem deve' ser como este grande homem foi, a não ser como agiu quando profissional do Direito; em outros aspectos da vida dele seria 'quase' impossível!

Elane Souza DCJ Advocacia, Advogado
há 23 dias

Nascido em 02 de outubro de 1869, na Índia, o "pequeno" Mohandas Karamchand Gandhi, seria, muito mais tarde, mas afortunadamente antes de sua morte, 'apelidado' de Mahãtmã - que, traduzido para o português significa, em tradução livre: "de GRANDE ALMA", Venerável"!


O Grande Advogado e pacificador Gandhi só foi conhecer a doutrina indiana em inglês (Bhagavad Gita - o livro sagrado dos Hindus, que é traduzido como" A canção do Bem aventurado "- Espiritualidade e Filosofia) quando foi estudar no Reino Unido e por meio da Literatura daquele momento; na época frequentava as bibliotecas de Londres.

Por destino foi contemporâneo, todavia bem mais jovem que a Filosofa/Teóloga Russa Helena Blavatsky; por coincidência no período em que estudava na Inglaterra, a referida estudiosa vivia nos arredores. Por já admirá-la, Gandhi pediu ajuda a amigos que marcaram um encontro com Helena na casa onde esta se hospedava, fato esse narrado em escritos, pós morte de Helena - um encontro de ideias e sensibilidade.

Tal encontro se deu porque Gandhi, como Helena, tinham algo em comum - eram pacificadores; não discriminavam pessoas tampouco religiões! Naquela época havia até um grupo de estudo na Biblioteca local que era 'liderado' por Helena, estudo esse que, mais tarde passaria a chamar Teosofia - um misto de várias Religiões, Ciência e Filosofia.

Apesar de ter se casado muito jovem (ainda adolescente - ele 13 ela 14 anos), por tradição Hindú e compromisso entre famílias, Gandhi permaneceu casado com a mesma mulher (Kasturba) por mais de 40 anos e teve com ela 4 filhos, todos homens; após muitas reflexões decidiu, aos 36 anos, ainda casado, pelo celibato.

Infelizmente, pela vida que levava Gandhi, deixava os filhos muito tempo aos cuidados da mãe; o mais velho foi o que mais se desviou da bondade e justiça (sentia-se abandonado e despreciado frente aos demais Hindus).

De família de uma Casta 'alta', com pai político (Ministro) e mãe super devota ao hinduísmo, Gandhi nunca fumou, nunca bebeu e foi vegetariano a vida toda.

Certa vez, em uma fazenda, olhando como retiravam o leite dos animais decidiu não mais consumir leite, tampouco qualquer outro alimento que contivesse o produto (neste caso, como protesto); desde então passou a vegetariano radical - escreveu livros sobre espiritualidade, mas também sobre Vegetarianismo. Na velhice só comia frutas e castanhas!

Apesar de comer pouquíssimo, ainda fazia jejuns prolongados como sua mãe quando viva, além disso, um dia por semana era só de silêncio (não falava; tampouco respondia) - 'meditava'!

Quando retornou para 'casa', após formar-se em Direito, a mãe já havia falecido, os tempos eram outros, a timidez lhe consumia e o trabalho como Advogado, em seu país natal, não foi fácil (praticamente nulo); assim que surgiu uma proposta na Africa do Sul partiu para ficar um ano e permaneceu mais de 12 anos naquele país!

Entretanto, sofria preconceito, como as demais pessoas de cor negra ou nacionalidade Índia! Alí fez muito sucesso como Advogado, talvez por isso ou pela boa índole que lhe parecia nata, foi à batalha sem violência física, sem armas, apenas com palavras e diálogo!

Lutou contra todos os tipos de preconceito, injustiça social e financeira! Na Africa do Sul ganhou a vida como Advogado defendendo injustiçados e compatriotas que eram quase" escravizados "e tratados com truculência! Fazia muitos, bons e justos acordos - sua vida esteve sempre pautada na justiça; preferia que ambos os lados ficassem satisfeitos com o resultado da demanda, que ganhar muito dinheiro e mais notoriedade na profissão!

"Eu aprendi a descobrir o lado bom da natureza humana e entrar nos corações dos homens. Eu percebi que a verdadeira função de um advogado era unir partes separadas"! por Mahãtmã Gandhi

Nessa época vestia-se como um profissional da área, mas assim que retornou à Índia voltou-se para as castas mais desfavorecidas da sociedade. A partir de então suas vestes passaram a ser fabricadas em casa e de uma única cor - apenas tecidos brancos enrolados ao corpo.

Foi então que começou uma" guerra "sem armas para pacificar Indus e Muçulmanos e livrar a Índia das garras da Inglaterra! Muitos morreram por intolerância dos Generais, dos ingleses em geral e até dos próprios Hindús que eram" escravizados "para servir à Inglaterra e lutar, como soldados, contra seu próprio povo (faziam isso para comer e ter uma vida 'melhor' que os demais compatriotas).

A resistência não-violenta, a verdade sem força bruta era seu lema para abrandar conflitos!

Gandhi foi um admirador de distintas religiões; de cada uma incorporava ao seu ser o que acreditava mais justo e conveniente, dentre elas estão o Cristianismo, Islamismo, Judaísmo e toda e qualquer que pregasse a fraternidade, igualdade entre os povos, justiça e não violência!

A justiça que acreditava era tanta que tratava os próprios filhos, irmãos e sobrinhos da mesma forma que tratava o mundo todo - para ele as pessoas eram todas irmãs; essa atitude fez com que seu filho maior se revoltasse e também um de seus irmãos - seu filho não mais foi resgatado, no entanto, o irmão, no leito de morte pediu que Gandhi educasse seus filhos da forma que educava os dele e os filhos da nação Índia!

Antes de se tornar um total pacifista foi à guerra II Guerra dos Boerês na Africa do Sul, mas fez apenas para criar um corpo médico de indianos para cuidar dos feridos.

O movimento nacionalista Hindu, de que ele fez parte e era praticamente líder, tinha como finalidade retirar a Índia do domínio inglês, nunca separar a Índia (de maioria Hindu) do Paquistão, com maioria Islâmica - no entanto, foi o que aconteceu quando conseguiu livrar o país do domínio do Reino Unido! Uma tragédia abalou a nação - gente ia e vinha, de um lado para outro, para ficar com seus" irmãos "de mesma fé; foi um grande massacre que levou Gandhi a uma greve de fome, por longo tempo, afinal, o povo, de ambas as crenças culpava ele por essa divisão que no fundo ele nunca quis!

Pelo contrário, sempre quis que todos ficassem juntos, convivessem com fé distintas, mas em paz - acabou sendo assassinado com três tiros à queima roupa, em 30 de janeiro de 1948, por um radical de extrema-direita Hindu, que o culpava pelas mortes e por ele estar defendendo o Paquistão e os outros Credos - Gandhi queria, como foi combinado, que se tivesse que separar (preferia que não) o Paquistão seria indenizado pela Índia, mas os radicais Hindus não desejavam isso, achavam que essa 'ideia' de indenizar não era justa, era sim uma traição com seu povo Hindu!

A seguir, algumas memórias de Gandhi, encontradas em sua auto-biografia que permanecem como frase memoráveis:

“Cada dia a natureza produz o suficiente para nossa carência. Se cada um tomasse o que lhe fosse necessário, não havia pobreza no mundo e ninguém morreria de fome.”
“O futuro dependerá daquilo que fazemos no presente.”
"A experiência tem-me demonstrado que o meio mais rápido de obter justiça é fazer justiça ao adversário"!
"Com o Direito havia aprendido o caminho prático da lei. Tinha aprendido a descobrir o lado bom da natureza humana e a encontrar o caminho do coração. compreendi que a verdadeira missão do homem da lei era lançar um ponte sobre o abismo que separa os adversários"!
“A alegria está na luta, no sofrimento envolvido e não na vitória propriamente dita”.
"Diante do perigo todos os seres tornam-se um só. Esquecem todas as diferenças em pensam em um único Deus"! (neste caso, em especial, há até uma história que ele conta que passou, durante uma viagem, quando o navio passava por uma tormenta, cheio de pessoas de várias crenças - o medo fez com que todos orassem, de mãos dadas, para um só Deus)!
“Aquele que não é capaz de se governar a si mesmo não será capaz de governar os outros.”
“É melhor que fale por nós a nossa vida, que as nossas palavras.”

Para finalizar, uma curiosidade sobre Gandhi: este foi um admirador de Leon Tolstoy; ambos trocaram correspondência de 1908 até a morte de Tolstoi - inclusive a última carta deste foi a Gandhi - a admiração era mútua, e as ideias bem parecidas; considerou-se discípulo de Tolstoi! Inclusive a fazenda, ou comunidade que criou para ensinar seus discípulos a não-violência foi 'batizada' de Fazenda Tolstoi!

Por Elane F. de Souza, inspirada nas fontes subscritas logo abaixo (Advogada não atuante - autora dos seguintes blogs):

Diário de Conteúdo Jurídico Blog;

Diário de Conteúdo Jurídico Pg.face;

Divulgando direitos e o

Canal do Youtube .

Fontes:

Vídeo palestra com a Filósofa Lúcia Helena Galvão

Vídeo Documental 1

Vídeo documental 2

Guia da Semana

Wikipedia

Créditos/imagem: Pixabay Gratis por Dimitris

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)