jusbrasil.com.br
21 de Setembro de 2019

Como "anda" o trabalho de Correspondente Jurídico em seu Estado?

A procura é grande? Os valores aumentaram? Já consta na tabela de sua Seccional? Os contratantes efetivamente pagam, ou há calote esporádico?

Elane Souza DCJ Advocacia, Advogado
há 3 meses

A escrita do texto a seguir foi inspirada na publicação de um post que fiz em minha fã page de nome Diário de Conteúdo Jurídico e, em seguida, compartilhada nos grupos de correspondentes de que a referida página faz parte.

Trata-se de mais um desabafo acerca do que creio ainda estar acontecendo, haja vista ser corriqueira a reclamação dos integrantes dos 5 grupos que a página segue!

A intenção da publicação foi somente incentivar a escrita; pensei que seria mais simples escrever um pequeno artigo (não jurídico - só dicas para blog) do que sair à rua para fazer cópia de processo, participar de audiência, etc.

Imaginei que algumas horinhas sentado (a) - (ou nem isso tudo), pesquisando e escrevendo fosse mais agradável do que sair às ruas, pegar trânsito e ficar estressado, gastar gasolina ou dinheiro com uber (ou bus), sola de sapato, perfume, maquiagem, para simplesmente ganhar alguns 50 ou 70 reais, como ainda seguem repetindo que é o que oferecem por aí!

Mas estava enganada!

Após a publicação do mini concurso (3º que faço), mas que ninguém apareceu, porque seguramente não leram, era TEXTÃO; decidi me manifestar com um desabafo e acabei recebendo "uma lavada" de comentários jocosos - houve 'colegas' que até printaram o texto para fazer chacota; entretanto, acho como tenho o estopim meio curto; não deixei todas passarem 'barato' - algumas tive pena; outras agradeci muito!

As que "printaram" só avisei que chacota, dependendo da força e alcance, pode ser motivo para um processo por injúria (poderia ganhar dinheiro com elas)!

Assim, antes que falem de mim; falo eu:

  • *Esta é a captura de um grupo, mas há outras com mais ou menos rizadas e comentários; todavia, este não é o primeiro post (o da "promoção" de texto para blog) - isso aí foi só um desabafo em poucas linhas - o outro era "textão", e textão ninguém lê!).

Alguns colegas até se ofereceram, mas puseram minha honestidade em xeque - EXEMPLO: "mas se eu NÃO ganhar o concurso, você vai deletar o artigo? Como posso ter certeza disso? Como saber se você não irá publicá-lo mais tarde, em outra oportunidade"?

O que pude dizer foi:

"Não tenho muito o que fazer quanto a isso (envie PDF 'cifrado' - só depois envie documento editável), o que posso dizer é que deletarei todos os que NÃO ganharem; só o melhor ganhará; verificaremos gramática, concatenação de ideias, fontes, importância para o blog e que o assunto esteja de acordo com o pedido".

Além disso, coloquei um exemplo para quem falou que era mais simples eu ter dito que gostaria de comprar um artigo; todavia, entendi essa colocação como sendo igual a proposta que fiz, pois só compraria o que fosse melhor e os demais ("COM A MINHA DESONESTIDADE"), poderia usar quando esquecessem do assunto; e para encerrar escrevi: "as pessoas aqui acreditam em políticos e em Profissionais da Advocacia que está em outro Estado, que promete pagar por uma diligência, menos do que eu ofereci pelo texto, e só após um mês, mesmo assim aceitam"; porque não acreditar em mim, que também sou Advogada, no entanto prometo pagar assim que escolher um ganhador (data marcada 26-6-2019)?

O desenvolvimento de um país se baseia na confiança que as pessoas depositam na Economia e em seus políticos (e estes, nos eleitores), inclusive na vida pessoal (no diaadia, uns nos outros)!

Certa vez VI, presenciei em uma cidadezinha na Espanã, outra vez li que na Holanda havia lugares que você depositava o dinheiro em uma caixinha e levava a mercadoria (frutas, verduras ou 'guloseimas'); só recolhia o troco, se precisasse, e mais nada! Ninguém pegava o que não podia pagar e tampouco 'furtava' a caixa com dinheiro!

Fazer isso aqui é entregar de bandeja; não vêem o que se passa quando um caminhão, cheio de mercadoria, tomba? Pois é, o motorista pode estar agonizando, mas o primeiro que fazem é saquear, se sobrar tempo ligam para emergência ou tiram uma selfie!

Depois exigimos honestidade de políticos que são pessoas que vem do povo e o povo (parcela significante) é assim?

No final das contas, nem posso me queixar muito em se tratando de confiança dos colegas para comigo; talvez, no lugar deles, eu questionasse o mesmo!

Todavia, sei de mim; dos meus princípios e propósitos - no último "concursinho de artigo" apareceram só quatro, destes quatro escolhi um e paguei (depositei $$) assim que editei, coloquei foto e postei no Blog com os dados do autor! Talvez, se procurarem bem, encontrariam na fã page e no blog Diário de Conteúdo, um artigo do ganhador de setembro ou outubro 2017.

Estimados colegas, o mercado da Advocacia não está bom para quase ninguém! Querendo um texto light para blog ou um artigo simples eu poderia comprar (o que mais tem aí é site vendendo artigos, e pacotes de artigos com determinada quantidade de caracteres, à escolha do freguês), e quem compra fica com a autoria como se fosse seu. No meu caso, de fato eu pago uma 'micharia', mas a autoria e o Curriculum é do autor do texto que será publicado da forma que a pessoa que escreveu escolher - (com foto, fone e outros contatos).

Porque será essa aversão à escrita? Não me conformo com uma pessoa que faz, ou já fez Direito e não gosta de ler e escrever?

Aqui, no JusBrasil, as pessoas escrevem de graça e ninguém deixa de trabalhar por isso - lá nos grupos fizeram uma guerra comigo por causa do desabafo e depois, quando foram procurar a postagem que originou o desabafo criticaram ainda mais pelo valor; mas como eu disse: "fazem diligência por 70 e até 50 reais, porque não um simples texto para blog por 100 reais"?

Vai entender!?

Aproveitando a 'deixa' e o título desta postagem, pergunto novamente:

  1. A procura por diligência é grande?
  2. Os valores aumentaram?
  3. Já consta na tabela da sua Seccional (os valores reais para cada tipo de diligência)?
  4. Os contratantes efetivamente pagam, ou há calote esporádico?

Obrigada a todos que conseguiram ler até aqui!

Agradeço também a amiga, Dra. Fátima Burégio, por ter sido uma colaboradora (1 ano) gratuita e essencial para um de meus blogs! Esta merece todo o sucesso e admiração do mundo (bjs)!

Por Elane F. de Souza (Advogada, autora dos blogs Divulgando direitos e Diário de Conteúdo Jurídico blog e face; mais o canal do Youtube DCJ).

Mais artigos de nossa autoria abaixo:

https://diariodeconteudojuridico.jusbrasil.com.br/artigos/716220576/uma-pena-exemplar-youtuber-famosinho-ficara-sem-canal-por-5-anos

https://diariodeconteudojuridico.jusbrasil.com.br/noticias/721036422/whatsapp-novas-regras-noticia-boa-para-quem-anda-na-linha

2 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Li seu texto todo, cara Elane!

De fato, não recebi um tostão pelas postagens em seu blog, pois foi mera liberalidade minha e fui muito abençoada por tudo isto.
Sabe, Dra Elane, alguns contatos me procuraram e eram oriundos do seu portal.
Faturei! Rsrsrsrs

Tenha calma quanto a esta dificuldade em angariar escritores.
Olha, tenho alguns amigos Advogados próximos e falarei da tua dificuldade na seleção, pois acredito que se interessariam.

Estou com tantas ideias boas e acredito poder te presentear com mais alguns textos. Relaxe!

Vou passar o contato seu para eles; se me permite.
Vai dar tudo certo!
Tenha paz! continuar lendo

Boa tarde minha cara amiga Dra. Fátima Burégio; você não precisa se incomodar comigo; já fez muito mais do que podia e tinha prometido.
Agradeço de coração e sabendo que ajudou em algo fico ainda mais FELIZ!
Nunca poderei agradecer o suficiente!

Mas deixa isso para lá, até já me arrependi da postagem (de novo)....; o povo só sabe humilhar, não entendem que é só uma forma que busco de incentivar à escrita e ter o perfil de mais alguém (com contatos e tudo) em meu blog.

Não seria algo complicado; poucas horinhas já estaria um texto com dicas pronto e enviado - mas se acham tão difícil, ok; vou até esquecer do assunto que já tá ficando feio para mim; engraçado é que não fica feio para eles aceitarem diligências por 40 , 50 reais!
Enfim; só nós sabemos o quão bom é escrever (inclusive de graça)!
Abraço e sucesso para ti. continuar lendo