jusbrasil.com.br
8 de Abril de 2020

A Advocacia não vai bem? Que tal dar uma olhada nestas dicas?

Elane Souza DCJ Advocacia, Advogado
ano passado

Todo as pessoas que decidiram pelo Direito sabe que ele tem uma gama de oportunidades a serem exploradas, mas muitas vezes nem nos damos conta de 'todas' elas e acabamos ficando parados em uma só opção. 'Batemos o pé' e insistimos com a Advocacia!

Depois de um tempo e com a concorrência aumentando, nós começamos a rever conceitos e até voltar a estudar (pós-graduar, fazer Mestrado e Doutorado), mesmo assim, a coisa não evolui muito com a profissão que mais amamos - qual seja, advogar!

Então essa é a hora de mudar ou apenas abrir horizontes; até porque algumas das dicas que apresentarei não interferem, tampouco vão retirar você do mercado de trabalho - poderá seguir sendo Advogado do mesmo jeito; inclusive, se assim desejar essa seguirá sendo sua principal atividade (Código de Ética e o Estatuto da Ordem não interferirá em nada do que apresentaremos).

Vamos lá ver em que podemos investir nossas energias, além da Advocacia?

  1. Escreva um livro dando dicas para concurseiros, ou apenas um e-Book, com conteúdo que mais tenha conhecimento ou ligação. Não esquecer de reconhecer a autoria e nunca plagiar. O registro é realizado via Biblioteca Nacional ou outro órgão oficial digital (ICP-Brasil, por exemplo);
  2. Após escrevê-lo, se não souber ou não puder (faltar tempo), contrate algum profissional para formatá-lo e transformá-lo em livro digital - deixá-lo lindo para atrair clientes;
  3. És desenvolto diante das câmaras? Então encontre um lugar silencioso (em casa ou no trabalho); com uma parede de livros ou mesmo lisa (branca); pegue uma câmara que pode ser inclusive a do celular (se ele for dos modernos - se NÃO for, use seu próprio computador, com um microfone de lapela ou outro qualquer, com entrada USB, e grave vídeo aulas - as primeiras podem até ser distribuídas de graça (via youtube), como degustação (as pessoas amam cursos de graça, mas aproveite para avisar que está gravando outro assunto e será postado para venda na plataforma tal - já será publicidade). No final deste texto citarei algumas das excelentes plataformas que uso ou já usei para vender;
  4. No entanto, se você não é Advogado, mas está lendo este texto; as DICAS servem para você também! Sabe fazer algo 'divino', muito bem feito e gostaria de ganhar dinheiro com isso? Escreva um e-Book sobre o assunto (ensinando) ou grave tutoriais (vídeo aulas) e venda - no mundo virtual, hoje, todo mundo pode ganhar; tanto quem vende, quanto quem produz (podem fazer, inclusive, co-produção - um ensina o que sabe e outro grava, edita e posta)!
  5. Por outro lado, talvez você não se interesse pelas dicas acima e a sua vocação seja concursos públicos. Então tá! Quando se é recém formado não há uma escolha específica (de ser Advogado público, por exemplo); hoje em dia, essa profissão (Procurador de Estado, República e até Município) exigem do candidato 3 anos de experiência (estágio universitário não conta); para Delegado Federal e a maioria dos Estaduais, infelizmente também estão no mesmo caminho. No entanto, se você já tem mais de 3 anos de Advocacia pode fazer todos os citados e os demais que aparecerem na área jurídica, sem falar que se já tiver pós, mestrado ou doutorado ajudará um montão a sair na frente na hora do desempate; afinal, muitos sabem mais que os que tem títulos e acabam na frente, nos concursos; mas, quando chega a hora de apresentar títulos perdem posição (nesse estado das coisas, quem tiver título passará na frente). Para começar, aconselharia os pequenos concursos de Procurador (Advogado municipal); ganha-se pouco, às vezes tem inclusive "carta marcada", mas são apenas 20 horas semanais de trabalho (vale a pena tentar) - você continuará sendo Advogado privado no restante da semana e fará seu nome na praça. Só não poderá demandar a Prefeitura onde trabalha!
  6. Outra dica seria procurar trabalho como Professor Universitário - isso se acaso tiver, pelo menos, Pós-graduação (melhor e mais fácil quando já é Mestre e/ou Doutor) em alguma área; ministrar aulas dá mais visibilidade ao Advogado no mercado e o profissional ainda pode escolher o período noturno, que em nada afetará a Advocacia.
  7. Outra dica; esta seria para quem gosta (realmente) de escrever sobre tudo ou pelo menos sobre o Direito: escreva e venda seus artigos; muitos sites, muitos blogs compram. Há plataformas específicas para isso (há freelancers de todas as áreas), uma dessas plataformas, com freelancers, se chama Workana.

Agora, para finalizar, APRESENTO as Plataformas que indico para você postar seu conteúdo (vídeo-aulas e/ou e-books) e vender - não se preocupem com as vendas (não precisa ser vendedor nato); nas mesmas plataformas onde se cadastram os produtores também há afiliados, loucos para vender seu produto.

  • Hotmart - nesta estou eu (afiliada e produtora de conteúdo) e pelo menos mais dois dos colegas aqui do JusBrasil (não precisam se esconder, há campo para todos); nesta, a exclusividade são produtos digitais;
  • Monetizze - Aqui estou, mas só como afiliada para venda de cursos de Direito em meus blogs - visam produtos digitais e físicos; a comissão para a empresa é maior; por isso fico com a Hotmart em termos de uso e consideração para com o produtor e afiliado;
  • KINDLE - está vinculada à AMAZON e não te cobra nada para publicar seu e-book com eles; é super fácil, intuitivo - só irá te cobrar a comissão pelas vendas; nesta não há afiliados; a não ser na AMAZON - lá você poderá ser apenas afiliado - vender produtos deles e até o teu próprio e-book.
  • Lomadee - nesta já estive, mas apenas como afiliada; no entanto, eles aceitam produtores de conteúdo digital e grandes lojas físicas (só que as lojas físicas pagam mal para os afiliados);
  • Eduzz - não a conheço bem;
  • E-goy - pode se afiliar, mas também cobram para fazer funil de vendas, envio de emails e outras coisas que não me atraem (já que não sou vendedora nata);
  • Adsense (hoje, 2019, só google Ads) - aqui você se cadastra (via blog ou youtube) para se promover (pagando) e também promover conteúdo de terceiros em seus blogs; se houver muita movimentação, ou seja, se teu blog ou canal de youtube "bombar' você ganhará em dólar do google (mas só receberá após acumular 100 dólares).

Escrever e ensinar sempre vale a pena - quando se pode ganhar algo com isso (mesmo que pouco) é ainda melhor, não acham?

Espero que tenham gostado das dicas acima!

Att. Elane F. de Souza (Advogada, autora dos blogs Divulgando Direitos, Diário de Conteúdo Jurídico e a fã page com mesmo nome D.C.J)

Imagem/Créditos: Pixabay grátis editada por D. C. J

Veja também:

https://diariodeconteudojuridico.jusbrasil.com.br/noticias/687284644/12-aeroportos-brasileiros-passa...

https://diariodeconteudojuridico.jusbrasil.com.br/artigos/683905495/artigo-7-incisos-ii-ivev-da-le...

2 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

ótima publicação Dra.Elane. continuar lendo

Obrigada, Dr. Tenha um bom dia!
Sucesso para ti continuar lendo